Manga

Aborrecidos à mesa?

Para entreter as crianças no restaurante ou num almoço de família podem ser escolhidos vários jogos simples. Tratam-se de jogos recreativos que podem ser realizados sobre a mesa e de uma forma desafiante e com grande prazer. Escolha um ou mais dos três jogos propostos para estimular as crianças e deixa-as divertirem-se enquanto aguardam pela refeição.

Desenvolvido por Professor Doutor Carlos Neto

Jogo da forca

Benefícios

  • Memória e capacidade de atenção;
  • Coordenação motora fina;
  • Imaginação e criatividade e inteligência;
  • Autocontrolo e socialização;
  • Resolução de problemas;
  • Capacidade de adaptação;
  • Desenvolvimento da literacia verbal e escrita;
  • Cooperação-oposição;

Descrição

A pessoa encarregada de desenhar a Forca escolhe uma palavra. Numa folha de papel coloca uma quantidade de traços que corresponde às letras de uma palavra. Pode-se dar ou não uma pista, de acordo com o grau de dificuldade desejado. Os outros jogadores, cada um na sua vez, vão dizendo as letras que podem completar a palavra. Quando uma letra é acertada, o encarregado da Forca coloca as letras no local correspondente. Quando alguém diz uma letra que não consta na palavra, escreve-se a letra de um lado e faz o primeiro traço do desenho do enforcado. A cada letra errada, é desenhado uma parte do corpo do enforcado. Se os jogadores conseguirem acertar a palavra antes que se complete o desenho, ganham o jogo. Para tornar o jogo mais fácil ou difícil, podem-se incluir detalhes como olhos, boca, etc. O jogo termina ou com o acerto da palavra ou quando o corpo do enforcado está completo.

Jogo dos pontinhos

Benefícios

  • Capacidade de atenção;
  • Coordenação motora fina;
  • Imaginação e criatividade e inteligência;
  • Autocontrolo e socialização;
  • Resolução de problemas;
  • Capacidade de adaptação;
  • Cooperação-oposição;

Descrição

Em primeiro lugar, fazem-se filas de pontinhos utilizando as linhas na folha (um caderno pautado ou quadriculado facilita o jogo) e usando três canetas de cores diferentes. A ideia é formar um quadrado ou um retângulo com essas filas de pontinhos (de preferência um quadrado de 10×10). Cada um escolhe uma cor de caneta diferente e é escolhido alguém para começar e unir dois pontos. Esses pontos precisam de ser vizinhos e só se podem ligar na horizontal ou na vertical. Cada jogador une dois pontos de cada vez. Quando o jogador consegue unir quatro lados e desenhar um quadrado ganha um ponto. Se um jogador ligar os pontos e ficar a faltar apenas o quarto lado do quadrado para ser fechado, quem termina é o adversário e é ele que ganha o ponto. No final, ganha quem tiver conseguido fechar mais quadrados.

Corrida de canetas

Benefícios

  • Coordenação motora fina;
  • Imaginação e criatividade e inteligência;
  • Autocontrolo e socialização;
  • Resolução de problemas;
  • Capacidade de adaptação;
  • Cooperação-oposição;

Descrição

Desenha-se, numa folha de papel, uma pista com diversos percursos indicando o ponto de partida e de chegada. Cada jogador deverá percorrer a pista com a sua caneta de cor diferente, posicionada verticalmente e agarrada com a ponta dos dedos de uma mão. A outra mão empurra-a para fazer um rasto, sem a levantar do papel. No final desse rasto marca-se um ponto onde sairá quando chegar novamente a sua vez. Alternadamente os jogadores vão avançando na pista (se algum jogador se encostar a algum obstáculo deve voltar ao espaço onde se encontrava). Ganha o jogo aquele jogador que primeiro chegar à linha de chegada.